Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Inspiração e expiração


Inspiração: o diafragma contrai e desce, os músculos intercostais contraem e obrigam as costelas a subir e a deslocarem-se para fora, aumentando a cavidade torácica. Os pulmões expandem-se e o ar entra carregado de oxigénio.
Expiração: os músculos intercostais relaxam e as costelas descem e deslocam-se para dentro. O diafragma relaxa e sobe. Os pulmões contraem-se e o ar sai dos mesmos carregado de dióxido de carbono.
Hematose pulmonar: a hematose ocorre através da difusão. A difusão é quando as substâncias passam de zonas de maior concentração para zonas concentração

Sistema cardio respiratório

O aparelho respiratório é constituído pelas vias respiratórias, pulmões e órgãos que auxiliam os movimentos respiratórios.
Vias respiratórias: fossas nasais, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares.
Orgãos que auxiliam os movimentos respiratórios: diafragma, músculos intercostais e costelas
Fossas nasais: dois orifícios que se localizam no nariz que estão revestidos por uma mucosa que humedece o ar.
Faringe: é um orifício na via respiratória, faz a transição do aparelho respiratório e digestivo
Traqueia: tubo na cavidade toráxica (10-12 cm) revestida por músculo, paredes musculares revestidas por cilos e por anéis
cartalagireos

mas os anéis são fechadosBronquios: têm as mesmas coisas da traqueia,
Bronquíolos: ramificações aos brônquios, são iguais mas mais pequenos
alvéolos pulmonares: onde se dá a troca gasosa e tem apensa uma camada de células
Pulmões: são dois sacos esponjos revestidos por uma membrana, são muitos elásticos. Servem para alargar a caixa toráxica para respirar-mos bem. O pulmão esquerdo é mais pequeno que o direito por causa do direito, tendo o direito três lóbulos e o esquerdo apenas dois. Os nossos pulmões estão cobertos por uma dupla membrana com o nome de pleura, e entre estas duas membranas existe um líquido pleural.

Curiosidade: os nossos pulmões têm capacidade para seis litros, quando inspiramos profundamente são 4,5 litros, e meio litro numa inspiração normal. No meio litro de inspiração, apenas cerca de 70% é que vai entrar na corrente sanguínea. Temos sempre uma reserva de litro e meio nos nossos pulmões.

Linfa


A linfa é constituída por plasma, glóbulos brancos e plaquetas, e o seu objectivo é levar oxigénio até todos os orgãos, onde os gçóbulos vermelhos não conseguem ir. Existem dois tipos de linfa:
-intersticial: anda espalhada por todos os órgãos
-circulante: anda canalizada em canais/ vasos linfáticos

Grande e Pequena circulação

ciclo cardíaco

diástole geral o sangue entra para as aurículas, mas as válvulas estãofechadas. Dura o,4 segundos
Sístole auricular as válvulas abrem e o sangue passa para os ventrículos. Isto acontece porque as aurículas contraem, e dura 0,1 segundos
Sístole ventricular as válvulas das aurículas fecham, os ventrículos estão "cheios" de sangue, as válvulas semilunar abrem, os ventrículos contraem e o sangue passa para as artérias. Dura 0,3 segundos.














1º-diástole geral 2º-sístole auricular
3º- sístole ventricular

O ciclo cardíaco tem 0,8 segundos no total, e como o período de trabalho é igual ao período de relaxe permite ao coração durar tanto tempo.
Sístole é a contracção do coração
diástole é o relaxe do coração

Para todas as células dilatarem e contraírem ao mesmo tempo existem nódulos sino auriculares que provocam descargas eléctricas para que isso aconteça


O coração- os seus constituintes


1-artéria aorta
2-artéria pulomonar
3-veias pulmonares
4-válvula bicúspide
5-semilunar aórtica
6-veia cava inferior
7-válvula tricúspide
8-semilunar pulmonar
9-artéria pulmonar
10-veia cava superior
11-septo
A-aurícula esquerda
B-ventrículo esquerdo
C-ventrículo direito
D-aurícula direita


domingo, 13 de novembro de 2011

Coração

O coração localiza-se na cavidade torácica central, ligeiramente inclinado para o lado esquerdo,
e está protegido pelo externo, costelas e coluna. O coração é um musculo, um orgão mecânico, e a sua função é contrair e dilatar. Tem a forma cárdia.
O coração é constituído por três camadas: o pericárdio, o endocárdio e o miocárdio.
O pericárdio é a camada mais fina e
externa, e protege o coração
do batimento dos pulmões.
O endocárdio protege o coração do sangue que lá passa, e é a camada mais interna.
O miocárdio é o músculo em si, e é
a camada mediana que garante que não existem misturas do sangue. O musculo que permite esta ultima propriedade é o septo, que é um dos contistuintes do miócardio, o septo.
Nota: coronárias são os vasos sanguíneos que "alimentam" o coração.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Sistema de válvulas/ com compartimentos

Serve para levar o sangue da ponta dos pés para o coração através de comportas, de modo a manter a pressão e ter força suficiente para chegar ao coração. Funciona da seguinte maneira:

O sangue vai para um dos compartimentos, sendo que a válvula seguinte
está fechada










Depois quando o primeiro compartimento está "cheio" de sangue, a primeira válvula fecha-se e a próxima abre-se, continuando assim sucessivamente

Vasos sanguíneos

Existem três grandes tipos de vasos sanguíneos: veia, artéria e capilar.

Capilares: são constituidos por uma camada de células, são muito pequenos, e por ele passam proteinas, nutrientes ...

Artérias: são espessas (mais que as veias), muito plásticas e elásticas. Levam o sangue do coração para fora do mesmo.

Veias: Levam o sangue para o coração, são de menos calibre que as artérias e menos elásticas e plásticas

Trombócitos

A sua forma é irregular porque resulta de fragmentos de outras células. O seu tempo de duração é uma semana, forma-se na medula vermelha dos ossos. Tem como função ajudar na coagulação do sangue.


Mecanismo da coagulação do sangue: Coagulação do sangue, é quando existe um ferimento, neste caso superficial, como um corte. As plaquetas deslocam-se ao local formando uma espécia de tampão, e depois o fibrinogénio (proteina dissolvida no sangue) transforma-se em fibrina que origina uma rede no corte, onde ficam presos as plaquetas e os glóbulos vermelhos. Quando as feridas são superficiais vai-se formar uma crosta, pór causa dos glóbulos vermelhos que secam, mas quando a ferida é interior, vai-se originar um coágulo que depois é absorvido


Hemácias (glóbulos vermelhos)



As Hemácias formam-se na medula vermelha dos ossos e a sua duração é de 120 dias. A sua forma é regular, são discos concavos achatados ao centro. O seu núcleo pode ser perdido quando entra na corrente sanguínea. A sua função é transportar O2 e CO2 (oxigénio e dioxido de carbono). Uma das proteinas que constituem a hemácia é a homoglobina, que é constituida por ferro, e o ferro neste caso faz a ligação directa com o oxigénio, ou seja, quando o glóbulo vermelho chega aos alveolos pulmonares, o ferro "atrai" o oxigénio.



Oxi-hemoglabina: quando o oxigénio está ligado à hemoglabina.



Carbo-hemoglabina: quando o dióxido de carbono está ligado à hemoglabina









segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Leucócitos (Glóbulos brancos)

Os leucócitos têm como função defender o organismo, o seu local de


formação é na medula vermelha dos osso, orgãos linfáticos (gânglios linfáticos, timo e baço). A sua duração é de uma semana e a sua função é a defesa do organismo, tem uma forma irregular e com nucleo.







Diapedese: é a capacidade que todos os leucócitos têm para sair pelas paredes capilares, ele sai acompanhado com o plasma para proteger ou ir de encontro a uma substância tóxica








Fagocitose: quase todos os leucócitos o fazem. O glóbulo branco detecta um corpo estranho vai de encontro a ele e envolve-o com os pseudópodes (falsos pés), e depois digere-o num vacúolo com insimas. Os leucócitos que fazem a fagocitose são os macrofagos que são os maiores e a maioria, e os que não fazem são os linfócitos.





Producção de anticorpos: os linfócitos são um tipo de leucócitos, que quando os macrófagos não conseguem neutralizar um agente patogénico, eles actuam e produzem anticorpos para neutralizar o mesmo. Há medida que vão produzindo anticorpos, este fica registado na memória do núcleo, adquirindo assim imunidade.


Curiosidade: as vacinas servem para prevenir doenças, e para isso injecta-se agentes patogénicos enfraquecidos para os linfócitos ficarem com o seu registo no núcleo, para quando tiver-mos essa doneça os linfócitos actuarem de imediato. Não existem vacinas contra a SIDA porque esta é um vírus em constante mudança, por isso quando os linfócitos produzem um anticorpo para a neutralizar esta muda de configuração, e os anticorpos produzidos não têm efeito, tendo então de produzir outros, continuando sempre assim

Plasma


O plasma tem como função transportar células sanguíneas, não tem local de formação, mas vai buscar água aos alimentos. Não tem duração pois está permanentemente a renovar.

Sangue- constituintes

domingo, 6 de novembro de 2011

Saúde na população

Estado de saúde de uma população

Existem indicadores que avaliam o estado de saúde das populações:

- Esperança média de vida;

- Taxa de mortalidade infantil;

-Taxa de doenças infecto-contagiosas;

- Taxa de obesidade;

- Taxa de doenças cardio vasculares.


Medidas de promoção da saúde

- Hábitos individuais de saúde (alimentação equilibrada, higiene corporal, práctica de exercicio físico);

- Melhorias das condições de higiene e salubridade-ambiente propício à saúde (recolha e tratamento dos residuos sólidos, habitações que assegurem as condições de salubridade, eliminação dos focos de contagios, medidas anti-sépticas, tratamento e distribuição de água potável);

- Ordenamento do território;

- Campanhas de vacinação;

- Rastreios;


Para a promoção da saúde há que ter em conta a prevenção. Existem vários níveis de prevenção da saúde: primária, secundária e terciária.


Prevenção primária: esta directamente relacionada com as vacinas. A sua utilização permite combater doenças na sua maioria mortais.

Prevenção secundária: está relacionada com os rastreios,ou seja, detecção precoce de doenças. Por exemplo higiene oral, visão, colestrol, glicose, hipertensão entre outros. Estes rastreios são muito importantes pois é mais fácil actuar no início da doença.

Prevenção tercearia: Está relacionada com a reabilitação da doença, como por exemplo a fisioterapia, programas para toxicodependentes e alcoolicos.

Evolução da saúde

Nas antigas civilizações a saúde estava diretamente relacionada com seres divinos, era considerada um problema de alma, e o feiticeiro/ curandeiro através de magias e ervas fazia o seu melhor.



Os gregos e romanos das antigas civilizações achavam que a doença era o resultado do desequilíbrio de quatro fluidos: sangue, bílis amarela, bílis negra e fleuma. os desequilíbrios vinham de factores esternos, como as estações o tipo de vida e o ambiente.

Quem veio revolucionar o conceito de saúde foi Hipócrates, um médico grego (século V e IV ac). As doenças não eram culpa dos divinos mas sim de causas naturais. A prática deixou de ser mágico-religiosa e passou a ser fruto da observação direta dos doentes.

A partir do século XV-XVI, os conhecimentos aumentaram devido à prática de dissecção de cadáveres. O corpo humano passou a ser encarado como uma máquina e a doença como uma avaria.

No séc. XIX o conhecimento dos microorganismos provocadores de doenças foi fundamental para o combate de doenças como a tuberculose a raiva e a cólera.

A saúde era entendida como a ausência da doença.

Apenas há pouco tempo é que a saúde começou então a ser entendida como uma questão individual e comunitária.

A verdade é que o estado de saúde de um individuo pode influenciar a saúde de outros.

Já no século XX (1947) a organização mundial de saúde (OMS) define saúde como: "a situação de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças"

Sucessão primária



A primeira etapa de um sucessão primária é o ecésis.

Clímax é quando o ecossistema está em equílibrio e não se pode desenvolver mais.

Transgressão é quando o oceano trangride o continente (nível da água do mar sobe)

Regressão há menos água (o nível da água do mar desce)

Sucessão primária -> comunidade pioneira -> espécies pioneiras -> comunidade climax

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Teias e cadeias alimentares

Cadeia alimentar é a sequência de seres vivos, em que uns comem os que o antecedem antes de serem comidos por aqueles que o seguem na cadeia. A cadeia mostra a transferência de matéria e energia por meio de uma série de organismos.


Nível trópico: forma como cada ser vivo arranja alimento dentro do ecossistema


Productores: são os vegetais que através da fotossíntese fixam energia luminosa e produzem substâncias orgânicas


Consumidores de 1º ordem: organismos que comem os productores, e geralmente são herbívoros


Consumidores de 2º ordem: alimentam-se de herbívoros, sendo geralmente carnívoros, ou seja alimentam-se dos animais de 1º ordem


Consumidores de 3º ordem: alimentam-se dos seres de 2º ordem ou 1º, e assim sucessivamente


decompositores: decompõem a matéria orgânica transformandoa em inorgânica


Teias alimentares: conjunto de cadeias alimentares num ecossistema que se interligam


Autotróficos: produzem o seu próprio alimento


Aeterotróficos: precisam de outros seres para sobreviver

domingo, 9 de outubro de 2011

Biodiversidade

Biodiversidade: é a soma de todas as formas de vida que habitam o nosso planeta, incluindo também a variedade genéticadentro das populações e espécies, e compreende ecossistemas terrestres, marinhos e outros aquáticos.


Biomas: os biomas são grandes ecossistemas da terra, que se caracterizam pelas condições climáticas e do solo, pelo seu tipo particular de vegetação e de seres vivos que nele se desenvolvem

Biosfera: é a esfera da vida, onde toda a vida que ocorre na terra se representa numa faixa de nome biosfera

Ecossistemas: é o conjunto de espécies vegetais, animais e microorganismos do mesmo habitat, que , e que em conjunto com o meio fisíco-quimico do ambiente, interagem como um sistema estável

Espécie: grupo de individuos com as mesmas caracteristicas e que se reproduzem deixando descendência fertil

Habitat: é o lugar especifico onde uma espécie vive e pode ser encontrada

Nicho ecológico: são as informações fornecidas pelo organismo, que nos dizem do que é que o ser se alimenta, a quem serve de alimento, como se reproduz.... é também o local funcional ocupado por uma espécie dentro do seu sistema

Biótopo: conjunto de factores físico-quimicos existentes num determinado ecossistema

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Vulcanismo atenuado



Quando a câmara magmática está activa, esta aquece as rochas que estão à sua volta. A àgua da chuva infiltra-se e ao entrar em contacto com as rochas mais quentes transforma-se em vapor de água. Este por ser gás sobe e se existir facilidade na subida irá originar fumarolas. Se o vapor não conseguir subir de imediato, arrefece e transforma-se em água podendo originar um géiser ou uma nascente termal, dependendo do tipo de reservatório que formar.




- fumarolas quentes: emissões de vapor de água a altas temperaturas

- sulfataras: emissões de vapor de água e de enxofre

-mofetas: emissões de vapor de água e de dióxido de carbono

-nascentes termais: nascentes de água quente

-géisers: são jacto sde água intermitentes, a altas temperaturas

Ilhas Vulcânicas



As ilhas vulcânicas formam-se quando existe uma camâra magmática activa se encontra no fundo do Oceano, e depois as pillow-lavas vão ficando empilhadas umas nas outras até chegarem à superficie e formam a ilha

Caldeira vulcânica

A Caldeira Vulcânica forma-se quando um vulcão deixa de entrar em erupção, e que devido à erosão a cratera entra em colapso, e devido às passagens das estações a caldeira vai encher-se de àgua. Os maiores perigos das caldeiras são a água estar a exercer demasiada pressão, e a cratera desabar outra vez, ou o vulcão entrar em erupção outra vez.

Dunas

Existem dois tipos de dunas:

-Litorais

- do Deserto


As do litoral são móveis, ou seja, nunca estão no mesmo sitio, devido ao vento. O homem para tentar "fixar" as dunas mete plantas para as segurar, apesar de que nem sempre resulta.


As do Deserto têm a forma de uma meia lua, de nome Barkane, sendo que um dos lados é ingreme e o outro suave, onde o vento sopra. Os grãos são pequenos, finos e baços, devido aos choques ocasionais quando estes são transportados pelo vento. Quando acontece uma tempestade de areia esta paisagem muda dráticamente

As grutas

As grutas são, normalmente, formadas num ambiente de rocha do tipo de calcário. O calcário apresenta uma rede de fracturas, de nome diáclases. A água ao entrar nessas fracturas forma cada vez mais buracos, de nome algar que vão dar acesso à gruta. No interior da gruta existem os seguintes elementos:

-Algar: são poços naturais, que permitem a entrada de água nas grutas, alimentando assim os rios subterrâneos

-Estalactite: forma-se no tecto da galeria, as gotas de água, que se
encontram no tecto, ao encontrarem um obstáculo caiem devido à força da gravidade, largando assim carbonato de cálcio e formando a estalactite.












-Estalagmite: forma-se no chão da galeria, devido às gotas de água que estão no tecto, que ao cairem ainda têm algum carbonato de cálcio




- Coluna: resulta da junção da estalactite e da estalagmite






- Galeria: resulta da erosão do topo da camada inferior com o topo da base superior, e está sempre na horizontal



-Rio subterrâneo: é a acumulação de àgua na gruta, que mais tarde irá originar uma nascente






-Poço:resulta de uma pequena erosão do topo da camad inferior, e forma-se sempre na vertical


Também existem outros tipos de paisagens calcárias sem serem as grutas:


-Dolinas: são depressões pouco profundas, mais ou menos circulares, e na maior parte das vezes está preenchido de àgua, devido à acumulação da mesma


- Uvalas: são depresões resultantes da junção de Dolinas






- Campo de lápias: Na superficíe o calcário sofre erosão, ficando com um aspecto rendilhado



- Polge: é uma depressão formada pela erosão do calcário e de falhas, e tem a aparticularidade que nas épocas húmidas está cheio com àgua, e que nas épocas secas já não.


-Marmita de Gigante: forma-se quando, por exemplo, uma pedra fica presa numa pequena depressão, e devido à àgua e/ou ao vento a pedra vai desgastando, muendo assim a rocha

sábado, 28 de maio de 2011

Órgãos Basálticos



O basalto, ao arefecer na chaminé vulcânica e no cone vulcânico, transforma-se em prismas hexagonais quase perfeitos, mas devido à erosão o prismas Vêm à superficie e as suas arestas e vértices vão ficando "arredondados", formando assim uma espécie de tubos, todos uns ao lado dos outros. É por esa razão que se chamam Órgãos basálticos, porque parecem uma orgão de Igreja.

Caos de Blocos

O caos de blocos é uma paisagem característica do granito. Este ao arrefecer e devido à pressão divide-se em cubos quase perfeitos, mas devido aos agentes erosivos (chuva) o cubos vão deformando-se transformando-se então em esferas. Este processo demora muitos anos a acontecer.
Devido ao granito ser uma rocha plutónica demora muito tempo a sofrer a erosão, e por isso ficam em saliência nas paisagens, formando serras, e tendo o nome de caos de blocos, por ser uma grande confusão de esferas, todas empilhadas.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Rochas Metamorficas

Nas Rochas Metamorficas existem três tipos:
- As de Metamorfismo regional

- As de Metamorfismo de contacto

- As de Metamorfismo de impacto




As de Metamorfismo Regional formam-se nas bacias de sedimentação, onde a erosão continua, e são depositados cada vez mais materiais fazendo com que a bacia se "afunde" devido ao peso dos materiais. Ao afundar, a bacia atinge condições de pressão e temperatura médias, e o material ao reorganizar-se na bacia, forma rochas metamorficas.



No metamorfismo de Contacto forma-se quando uma camâra magmática se instala nas rochas, e devido às altas temperaturas do magma, as rochas à sua volta vão sofrer um cozimento. Quanto mais próximas as rochas estão da camâra magmática, maior será o grau de metamorfismo. Mais tarde, quando a camâra magmática arrefece, formam-se as rochas metamorficas.





O metamorfismo de impacto forma-se em pressões e temperaturas altas. Este tipo de metamorfismo forma-se apenas quando, por exemplo, um meteorito cai na superficie terrestre, e com o impacto as rochas que estão na cratera sofrem um cozimento, devido às altas temperaturas do meteorito, havendo assim fusão entre as rochas terrestres com o meteorito